Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Ainda que sejamos provenientes de variadíssimos ambientes sociais, geográficos e culturais, partilhamos um elo comum: amamos a Deus e seguimos o Seu Filho Jesus Cristo. Devido a este elo único somos "um só em Cristo".

CONCLUSÕES DO 1.º CONGRESSO MUNDIAL DAS ASSOCIAÇÕES HOMOSSEXUAIS CATÓLICAS

1.º Congresso Mundial das Associações Homossexuais Católicas

Quarenta representantes institucionais das associações homossexuais católicas de Portugal, Espanha, Estados Unidos, México, Perú, Costa Rica, Brasil e Argentina estiveram reunidos em Portimão, Portugal, entre 6 e 8 de outubro. Agradecemos a Deus pelo sucesso do Congresso que teve igualmente a cobertura dos meios de comunicação social de todo o mundo, incluindo as principais estações de televisão e de rádio (BBC, FRI, Rádio Suécia); de todas as estações de televisão e de rádio nacionais e locais, incluindo a “Rádio Renascença” (a rádio nacional católica portuguesa) e todos os jornais portugueses; as mais importantes agências de notícias noticiosas (LUSA, para Portugal e países de língua portuguesa; FRANCE PRESSE, também televisão, França e países de língua francesa; EFE, Espanha e países de língua espanhola). O Congresso foi ainda notícia em países como a Nigéria, em África, e tudo isto representa mais de 55.000 entradas no Google, em português, inglês, francês e espanhol.
 
Agradecemos igualmente a Deus pelas pessoas maravilhosas que estiveram presentes. Por todo o trabalho e a alegria, mas sobretudo pelo forte compromisso para sermos construtores de pontes, não somente com a Igreja, que amamos, mas igualmente entre nós, que temos realidades religiosas tão diferentes.
 
 
 
CONCLUSÕES
 
  1. Criação da Organização Mundial das Associações Homossexuais Católicas(WOHCA), constituída pelos países supra e eleição da comissão instaladora da WOHCA, formada por membros de Portugal, Espanha, Brasil e ficando a aguardar-se a resposta dos Estados Unidos. Foi igualmente aprovada a Constituição Mundial e mandatada a Comissão Instaladora, no uso dos poderes atribuídos pela Constituição Mundial, para apresentar até outubro de 2015 todas as alterações ao documento agora aprovado.
  2. Realização da Conferência Mundial de 2015 em Espanha, em outubro desse ano e provisoriamente prevista para Sevilha, Espanha.
  3. Delineação das grandes linhas da petição a enviar ao Secretário-geral do Sínodo, cardeal Lorenzo Baldisseri, cuja redação final foi entregue a um elemento do grupo Ichthys de Sevilha e a outro da Rumos Novos, Portugal e que será enviado ao Sínodo na sexta-feira à tarde. A petição será constituída por uma carta de apresentação ; introdução ; realidades vividas no casamento entre as pessoas do mesmo sexo ; género e (homos)sexualidade ; a necessidade para a Igreja escutar o Sensus Fidelium e, finalmente, uma parte com as recomendações formuladas pelos homossexuais católicos. [O texto final da petição pode ser lido aqui]
No final do Primeiro Congresso Mundial das Associações Homossexuais Católicas, que preparou o presente documento, ao dar por concluídas as sessões, depois de orar pedindo a Deus que iluminasse as nossas mentes, os participantes acordaram ainda em deixar as seguintes reflexões:

Cremos que Deus Pai é o Criador de Todo o Universo. Portanto tudo o que existe é obra da sua Vontade e, em consequência:
  • Pode existir algo que não tenha sido concebido por Ele?
  • Se toda a natureza é Obra Sua, como pode existir algo de antinatural?
  • Não nos levaria a supor a questão anterior a existência de outro criador diferente de Deus Pai?
  • O antinatural é um conceito absolutamente impossível. Tudo o que existe, quer gostemos ou não, encontra-se no interior da natureza e é parte dela.
  • Quando se fala de algo como antinatural não estaremos a confundir as leis morais com as leis naturais?
  • Neste pressuposto, não estaremos a cometer o tremendo erro de hipostasiar a Natureza na moral?
  • Quando se julga a homossexualidade como algo de antinatural, não estaremos a utilizar um conceito impossível para julgar a criação de Deus?
  • Não estaremos a projetar os nossos medos e preconceitos ao julgar o que Deus criou?
  • Contudo, pode o homem julgar o que Deus faz?
  • Por acaso não é pecado de infinita soberba que a criatura julgue a Obra do Criador?
  • Não é verdade que no Pai Nosso rezamos «Faça-se a Tua Vontade assim na Terra como no Céu»?
  • Se confiamos nesta oração ensinada pelo próprio Jesus Cristo, como não podemos aceitar a Vontade do Pai em nós mesmos e no próximo?
  • Porque se a pessoa homossexual não aceita em si mesmo a sua sexualidade, não está incumprindo a obrigação de todo o cristão de aceitar a Vontade do Pai?
  • Contudo, se a pessoa heterossexual não aceita a homossexualidade do próximo, não está igualmente incumprindo essa Vontade do Criador?
Porque não queremos projetar os nossos preconceitos e medos como se fossem divinos, não deveríamos admitir que sobre a nossa limitada capacidade de conhecer a Natureza se encontram factos reais e que é um facto real a existência durante toda a história de pessoas homossexuais? E quem é, senão Deus Pai, o Criador de todos os factos reais?
 
Esperamos que este Congresso tenha sido o grão que foi lançado ao solo para dar bons frutos. Eis porque, agora, apelamos a todos os irmãos e irmãs homossexuais católicos de todo o mundo, que ainda não são membros da WOHCA, para que se juntem a todos e todas nós e ajudem a construir esta organização que é igualmente a sua, a fim de que possamos todos ser um para que o mundo creia, tal como o Senhor nos pediu.