Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Ainda que sejamos provenientes de variadíssimos ambientes sociais, geográficos e culturais, partilhamos um elo comum: amamos a Deus e seguimos o Seu Filho Jesus Cristo. Devido a este elo único somos "um só em Cristo".

Homossexuais Católicos Respondem a Resignação Eminente do Papa

NOTA DE IMPRENSA 01-2013


Lisboa, 11 de fevereiro de 2013. Rumos Novos, homossexuais católicos, torna pública a sua posição referente à notícia da próxima resignação do Papa Bento XVI, da seguinte forma:

 

Um novo Papa reconciliador e pastor universal


A Associação Rumos Novos – Homossexuais Católicos recebeu com incredulidade e surpresa a notícia da resignação próxima do Papa Bento XVI. Juntamo-nos aos irmãos católicos de todo o mundo que reconhecem que o Papa Bento XVI sentindo o chamamento de colocar as necessidades da Igreja, à qual entregou toda a sua vida, em primeiro lugar ao constatar que já não se encontra à altura das exigências do seu cargo e tenha tido a humildade de resignar. Crentes que o Espírito Santo se encontra sempre atuante na Igreja, rezamos pelo futuro da igreja e pela saúde do Papa.

 

Porém, apesar do momento ser de sobressalto para todos os católicos, não podemos igualmente deixar de rezar por todos os irmãos homossexuais católicos, suas famílias e amigos, cujas caminhadas de fé e vidas se tornaram bem mais difíceis sob o pontificado de Bento XVI e já anteriormente quando este se encontrava à frente da Congregação da Doutrina para a Doutrina da Fé. Efetivamente ao longo de três décadas, Bento XVI foi o principal responsável pelas políticas discriminatórias, por parte da Igreja, em relação aos homossexuais.

 

Rezamos para que os Cardeais, que irão eleger o sucessor de Pedro, saibam escutar o povo de Deus e o clamor da Igreja e para que, sobretudo, saibam escutar a voz do Espírito Santo clamando por um Papa que seja um autêntico pastor.

 

Rezamos por um Papa que trabalhe arduamente para cicatrizar as feridas da divisão, da mágoa e da perseguição das décadas recentes e que valorize o diálogo e a abertura ao mundo, ao próximo.

 

Rezamos por um Papa que saiba discernir os sinais dos tempos à luz do Evangelho e que saiba acolher todos, na Igreja de Cristo, independentemente da sua orientação sexual, sexo ou estado civil. Precisamos de um Papa que verdadeiramente envolva e consulte o sensus fidelium (o sentir dos fiéis).

 

Enquanto homossexuais católicos, nossas famílias e amigos exortamos os Cardeais e o novo Papa a estabelecerem um verdadeiro diálogo com as pessoas homossexuais de fé. Exortamos a que se coloque um ponto final nas declarações que produzem mágoa e dor profundas e sensação de desamparo a pessoas já de si marginalizadas e que dão ânimo a todos aqueles que procuram justificar a discriminação no seio da igreja católica e na sociedade.

 

Rezamos para que este possa ser um momento de viragem para a Igreja Católica, no qual esta se afaste em definitivo das suas posições de exclusão em relação aos homossexuais católicos e, com a orientação do Espírito Santo e lendo os sinais dos tempos, possa desenvolver uma nova compreensão dos modos como Deus opera nas vidas das pessoas de fé independentemente da sua orientação sexual.

 

 

Confiamos que o Espírito Santo continuará a orientar a nossa igreja, apesar de todas as nossas falhas, e de que a nossa fé, esperança e amor serão fortalecidos pelo nosso próximo Papa, que esperamos seja um reconciliador e um pastor universal.

 

 

JOSÉ LEOTE, Coordenador Nacional, Rumos Novos (963638269)

http://rumosnovos-ghc.pt.vu