Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Ainda que sejamos provenientes de variadíssimos ambientes sociais, geográficos e culturais, partilhamos um elo comum: amamos a Deus e seguimos o Seu Filho Jesus Cristo. Devido a este elo único somos "um só em Cristo".

10 maneiras de apoiar o seu filho ou filha homossexual, quer saiba ou não se tem um/a!

No último mês, sendo o Mês do Orgulho, foram publicados alguns artigos referentes ao que os pais deveriam dizer quando os filhos se lhes revelam como homossexuais. No geral, penso que esses artigos nos davam conselhos preciosos, que, no essencial, se resumiam a isto: Não sejam idiotas. Isto é um bom conselho para todas as situações e algo que tento recordar-me todas as vezes que vejo os meus sogros. Contudo, enquanto pais, penso que deveríamos fazer muito melhor.

 

Portanto, aqui estão algumas dicas úteis para apoiarem o vosso filho ou filha antes de ele vos revelar a sua orientação sexual. Afinal de contas, ser pai de um filho ou filha homossexual não começa quando ele ou ela se assume. Eles sempre foram homossexuais, quer vocês soubessem disso ou não.

 

 

1. Reconheçam que o vosso filho ou filha pode ser homossexual.

 

Qualquer criança nascida de qualquer pai ou adotada em qualquer família pode ser homossexual. Porquê? Porque são seres humanos e alguns seres humanos são homossexuais. Trata-se simplesmente de um facto. E não reconhecer isso não faz um favor a ninguém.

 

 

2. Mostrem aos vossos filhos ou filhas que ser homossexual não vos acarreta qualquer problema.

 

Falar com os vossos filhos ou filhas é sempre bom. Recomendo-o. Digam-lhes que acreditam na igualdade para todas as pessoas. Só o falar já pode fazer muito, mas as ações falam mais alto do que as palavras. Alguns exemplos de ações:

 

  • Leve a família ao Dia do Orgulho. Não é preciso ser homossexual para participar. Neste evento, o vosso filho ou filha poderá contactar com um amplo leque de pessoas e famílias, onde poderá desenvolver o seu sentido crítico e aperceber-se-á de que os pais são solidários somente por lá estarem.
  • Faça doações ao Rumos Novos ou a qualquer outra organização LGBT, nas quais envolva o seu filho. Fale-lhe de como é importante apoiar organizações que promovem a igualdade e o tratamento igual para todas as pessoas.
  • Participem noutras atividades, como por exemplo nos encontros periódicos, realizados em diversos pontos do país, do Rumos Novos. Podem, assim, educar o vosso filho ou filha e mostrar-lhe que a fé católica e a homossexualidade não são incompatíveis.

 

 

3. Não mintam acerca das pessoas na vida do vosso filho ou filha

 

Se o vosso filho ou filha tem um casal favorito de tios ou tias homossexuais, que vivem juntos e se amam, não há qualquer vergonha em explicar-lhe a natureza do seu relacionamento. A minha experiência revela que as crianças se apercebem que as pessoas se amam. Elas não pensam que é estranho ou errado, a menos que sejam ensinadas de que é estranho ou errado. E não lhes estará a ensinar nada sobre sexo, mas sim sobre amor. É fácil dizer: “O João e o Manuel amam-se tal como a mãe e o pai”. O amor é uma coisa saudável.

 

 

4. Decorem o vosso carro na igualdade

 

Se são dos que gostam de colar autocolantes nos vidros do vosso carro, existem milhares disponíveis. Pode ser o símbolo da igualdade, ou um autocolante que diga “O Ódio Não É Um Valor Familiar”. O meu carro mostra agora um autocolante que diz “Amo a Igualdade”. É uma maneira fácil de marcar a vossa posição sobre o assunto.

 

 

5. Cuidado com a língua

 

Palavras ou expressões como “paneleiro”, “maricas”, “camionista”, “isso é tão amaricado”, etc., são prejudiciais. Não tentem enganar-se pensando que não o são. Eliminem o discurso de ódio do vosso vocabulário, pois ele é humilhante e, enquanto pais, não se deveriam sentir bem em diminuir o vosso filho ou filha.

 

 

6. Insurja-se

Se as pessoas estão a ser umas idiotas homofóbicas e vocês nada dizem, isso envia uma mensagem definitiva, que não é nada boa. Abram as vossas bocas e façam notar às pessoas o ódio que transparece das suas palavras. É sempre confortável? Não. Porém, uma criança homossexual precisa ver os pais a defende-la, quer se tenha já assumido ou não.

 

 

7. Deixem as vossas crianças ser elas mesmas

 

Têm um filho que vive para o teatro musical e para o design de moda? Ótimo. Têm uma filha que pensa que os vestidos foram inventados pelo diabo? Ótimo. Alguma destas coisas significa que o vosso filho é homossexual? Claro que não. Porém ao apoiá-los, estão a demonstrar-lhes que eles são perfeitos e amados tal como são.

 

 

8. Oiçam os vossos filhos e filhas

 

Se o vosso filho ou filha vos diz que tem uma paixão por alguém do mesmo sexo, deixem-no/a. Não entrem em parafuso ou tirem conclusões ou digam-lhe que ele ou ela não pode ter tal paixão. Muitas das crianças que têm paixões por pessoas do mesmo sexo, não são homossexuais, mas alguns são. O que quer que o vosso filho ou filha sinta é real e importante. Para além de que as paixões das criancinhas são adoráveis. Desfrute da adorabilidade da coisa. O resto virá com o tempo. (Embora possa acontecer mais cedo do que imaginam.)

 

 

9. Preencham os vazios na vossa biblioteca

 

Escolham também livros que podem trazer diversidade à vossa casa de uma forma divertida e colorida que as crianças adoram. Eles podem ajudar a ensinar que todos os diferentes tipos de pessoas e famílias são maravilhosos e merecem ser celebrados.

 

 

10. Amem os vossos filhos ou filhas

 

Amar os vossos filhos ou filhas é o emprego e a responsabilidade número um de qualquer pai. Escolhemos ser pais. É um dos papeis mais maravilhosos, fabulosos, frustrantes e recompensadores do mundo. É nosso privilégio ser a mãe ou o pai de alguém e é um privilégio que não deve ser tido como garantido.

 

Se os pais fizerem algumas destas coisas, então quando um filho ou filha se assume, provavelmente ele ou ela não estará com medo e receio de que irão rejeitá-lo/a. Será somente o vosso filho ou filha a partilhar algo de importante sobre si próprio/a. E, se o vosso filho ou filha for heterossexual, ter-lhe-ão ensinado lições importantes sobre a igualdade. Não há qualquer prejuízo. Afinal de contas, os nossos filhos e filhas irão ser quem são. Nada do que fizermos ou dissermos pode mudá-los. Porém, como pais podemos afetar o modo como os nossos filhos e filhas se veem a eles ou elas mesmos. Quero que os meus filhos e filhas saibam que são maravilhosos.

 

Se o vosso filho ou filha se assumir perante vocês, lembrem-se do conselho que funciona quase sempre: Não sejam idiotas!

 

 

NOTA: Pode ser descarregada aqui a brochura que produzimos sobre este tema.

 

 

Autor: Amelia (pseudónimo)

Tradução e adaptação: José Leote

Artigo original:  Huffington Post