Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Ainda que sejamos provenientes de variadíssimos ambientes sociais, geográficos e culturais, partilhamos um elo comum: amamos a Deus e seguimos o Seu Filho Jesus Cristo. Devido a este elo único somos "um só em Cristo".

No Uruguai: reunião "histórica" entre arcebispo e pessoas homossexuais

O arcebispo Daniel Sturla reuniu-se com representantes da Associação de Famílias de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Homoparentais do Uruguai. «É o primeiro membro da hierarquia da Igreja Católica que fala corretamente sobre estes temas, utilizando a terminologia correta quando se refere à orientação sexual ou à identidade de género», disse o presidente da associação.

 

 

Daniel Sturla

Este foi o primeiro encontro na história do Uruguai entre um arcebispo e as pessoas homossexuais.

 

Para o presidente da Associação de Famílias LGBT, Omar Salsamendi, a reunião foi «altamente positiva».

 

«A Associação não professa qualquer religião, algo que lhe está vedado pelo seu próprio estatuto. Mas para além disto, foi uma reunião histórica. Antes de mais, porque é o primeiro alto dignitário da Igreja Católica do Uruguai que se reúne para falar sobre esta temática com uma Organização de defesa dos direitos LGBT», disse Salsamendi.

 

A «conversa amena» durou uma hora. Sturla frisou que a Igreja mantem a sua postura sobre a lei da igualdade no casamento, mas assinalou explicitamente que está contra qualquer tipo de discriminação.

 

Salsamendi recordou que o novo arcebispo afirmou publicamente que não é contraditório com a fé ou com os dogmas da Igreja ter amigos homossexuais. «É a primeira vez que um arcebispo afirma (N. T.: no Uruguai) «tenho amigos homossexuais», disse.

 

«É o primeiro membro da hierarquia da Igreja Católica que fala corretamente fala corretamente sobre estes temas, utilizando a terminologia correta quando se refere à orientação sexual ou à identidade de género», sublinhou Salsamendi.

 

«Neste aspeto, vejo Sturla alinhado com os novos tempos e longe de discursos retrógrados e carentes de toda a fundamentação técnica ou científica», acrescentou.

 

Durante a conversa, Sturla pediu desculpa pelas ações da Igreja Católica do Uruguai que possam ter ferido ou magoado as pessoas homossexuais, ainda que tenha deixado claro que ele não se encontrava no exercício do seu cargo quando isso aconteceu.

 

 

Artigo original: aqui.

Tradução: José Leote