Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Somos católic@s LGBT que sentiram a necessidade de juntos fazerem comunhão, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado a tod@s por Jesus Cristo.

50 Anos de Humanae Vitae

HV_50Aniversario.jpg

 

"Ao longo dos últimos 50 anos, biliões de católicos leram ou foi-lhes ensinado o que a Hmanae Vitae diz sobre o uso da contraceção e a maior parte deles, após consideração prudente, rejeitaram estes ensinamentos". Quem o afirma é Colm Holmes, presidente da Nós Somos Igreja - Internacional. E continua: "A maioria procedeu dessa forma, acreditando que permanecem bons católicos. Ao procederem dessa forma, estabeleceram na nossa Igreja um novo nível de autoridade. Acreditamos ser este o verdadeiro significado deste aniversário."

 

Colm-Holmes.jpg

Holmes sublinhou: "Ao proclamarem a sua própria autoridade em tomarem decisões sobre o modo como as suas famílias se devem desenvolver, os leigos católicos falam frequentemente da paz que viveram ao chegarem a estas conclusões. Com o passar do tempo, as conversas sobre isto com os sacerdotes e outros ministros acabaram por convencer uma ampla maioria deles a apoiar as decisões dos leigos. A autoridade moral da hierarquia já não é tida como absoluta.

 

"A contraceção está longe de ser o único tema onde os leigos católicos rejeitam o ensinamento oficial," continuou Holmes. "Os leigos apoiam a ordenação das mulheres, a possibilidade do voltar a casar-se após o divórcio, a bondade das pessoas gays, lésbicas, bissexuais e transgéneros e, como bem o vivemos na Irlanda, mesmo que as mulheres devem ter o direito legal ao aborto. Reconhecemos a gravidade destes temas morais, compreendemos os valores chave da nossa fé e, mesmo assim, chegamos a uma conclusão diferente dos responsáveis da igreja."

 

Holmes disse: "Ao refletirem sobre os 50 anos desde o aparecimento da Humanae Vitae, esperamos e rezamos para que os responsáveis da nossa igreja compreendam que os leigos têm uma voz importante na moldagem dos ensinamentos e políticas da igreja. Deveríamos ter um papel no debate e na formulação de ensinamentos. O dogma que não tenha em consideração as nossas experiências e sabedoria tem uma forte possibilidade de ser rejeitado, abrindo ainda mais o fosso entre a igreja e a sua liderança e minando a capacidade da nossa igreja em realizar a sua missão. A Humanae Vitae ajudou as pessoas da igreja a encontrarem a sua voz e já não permaneceremos calados."