Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Somos católic@s LGBT que sentiram a necessidade de juntos fazerem comunhão, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado a tod@s por Jesus Cristo.

Adolescente suicida-se no Brasil depois de ter denunciado que era vítima de homofobia no seio familiar

Consternação no Brasil devido ao suicídio de um adolescente, Yago Oliveira, após este ter denunciado no Facebook a situação de perseguição homofóbica de que era vítima pelos próprios familiares após ter saído do armário.

 

YagoOliveira.jpg

«Vou mostrando como sou e vou sendo como posso...»

 

Residente na cidade de Sapé, na Paraíba, no noroeste do Brasil, no passado dia 18 de janeiro, Yago Oliveira denunciou no Facebook a terrível situação de perseguição homofóbica de que era vítima popr parte da sua própria família que o rejeitava desde que assumira a sua orientação sexual. Uma situação que alguns dos seus amigos confirmam numa publicação que acumula inúmeros comentários e que foi compartilhada por mais de quarenta e seis mil utilizadores. Posteriormente revela que a sua vida se converteu num «inferno», confessando que havia recebido ameaças do próprio pai,  tendo acabado por se suicidar na madrugada do dia 14 de março.

 

A ocorrência criou uma onda de consternação no Brasil, particularmente desde que uma amiga de Yago denunciou que ele poderia não se ter suicidado: «Pessoal, não terá sido ele assassinado e feito para parecer um suicídio? Porque ele fez esse desabafo e morreu algum tempo depois, não imediatamente. Eles deveriam investigar aquela família doente!», publica no Facebook; e que um meio de comunicação local terá publicado uma entrevista com os seus familiares na qual explicam que a própia mãe de Yago parece comemorar a sua morte ao afirmar que «o homem lá de cima escutou a minha prece. Prefiro um filho morto do que um filho vivo e pecador. Seria uma vergonha e uma desonra muito grande».

 

Testemunho.jpg

 

 

Artigo original aqui.

1 comentário

Comentar publicação