Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Associação RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBTQ (Portugal)

Somos católic@s LGBTQ que sentiram a necessidade de juntos fazerem comunhão, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado a tod@s por Jesus Cristo.

13 de Agosto, 2019

Chegam a Espanha mais de 30 refugiados LGBTI sírios e iranianos

Rumos Novos - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Bandeira LGTBI | EUROPA PRESS

 

Mais de 30 refugiados LGBTI da Síria e do Irão chegaram no passado dia 31 de julho a Madrid, depois de saírem da Turquia, com o apoio da Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM), informa a Europa Press.

 

Os recém-chegados são os primeiros refugiados LGBTI a serem recolocados em Espanha, a partir da Turquia e da Jordânia, onde ficaram anteriormente alojados depois de fugirem da perseguição nos seus países de origem, segundo informou num comunicado a Associação de Migrantes e Refugiados LGBTI+, Kifkif.

 

Segundo precisam a partir desta associação, há uns meses, a Espanha pediu referências de refugiados à delegação da ACNUR em Ancara. A ACNUR contactou muitos refugiados que já tinham sido enviados para os Estados Unidos ou para o Canadá para realojamento para ver se estavam interessados em ir para Espanha.

 

Os agentes de migração entrevistaram o primeiro grupo de refugiados na Embaixada de Espanha em Ancara, nas últimas semanas. Estiveram em Istambul nos últimos três dias para receber as orientações exigidas pela Organização Internacional das Migrações (OIM) e receberem os seus visas e documentos de viagem.

 

Atualmente, mais de 2000 refugiados LGBTI de 17 nacionalidades residem na Turquia à espera de realojamento, de acordo com a associação. Nos últimos anos, várias organizações sociais têm encorajado os eurodeputados a prestarem uma atenção especial à situação dos refugiados LGBTI e a protegerem as pessoas que tiveram que fugir devido à sua orientação sexual ou identidade de género.

 

«Estamos felizes que Espana tenha tomado medidas para garantir a estes refugiados uma nova oportunidade de vida. Esperamos que outros governos europeus sigam o exemplo do nossos país e ofereçam apoio e proteção, já que a Turquia é um país seguro para os refugiados LGBTI», sublinham a partir da KifKif.

 

Fonte: infoLibre