Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBT (Portugal)

Somos católic@s LGBT que sentiram a necessidade de juntos fazerem comunhão, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado a tod@s por Jesus Cristo.

Deputados católicos britânicos escrevem ao Papa Francisco sobre os jovens LGBT

14d30c4d-5b51-4809-adf6-f982f3a0b17c-original.jpeg

 

Um grupo de vários deputados católicos escreveram esta semana ao Papa Francisco pedindo-lhe que garanta pessoalmente que o sínodo dos jovens se centre no dano provocado às crianças e jovens no mundo devido ao estigma LGBT.

 

O deputado Mike Kane afirmou que «o Sínodo dos Jovens da Igreja Católica, em Roma, é um momento único em cada geração onde todos podemos criar uma mudança positiva nas vidas dos jovens. Quer se seja católico ou não, pessoa LGBT ou não, as decisões que podem ser tomadas neste Sínodo serão sentidas nos anos vindouros em todo o mundo.»

 

A carta será entregue ao Papa por Sally Axworthy, embaixatriz britânica junto da Santa Sé, em nome dos deputados.

 

Na sua carta, os deputados trabalhistas Mary Creagh, Conor McGinn e Mike Kane e o deputado conservador Sir David Amess, juntaram-se à mensagem da Campanha Equal Future 2018, ao pedirem ao Papa que assegure que uma atenção especial é dada ao dano que está a ser feito às crianças e aos jovens em todo o mundo quando lhe é transmitida a perceção de que ser uma pessoa LGBT é um infortúnio ou uma deceção. Pedem que a igreja católica utilize a sua posição privilegiada nas sociedades à escala global para lidar com este dano e pôr-lhe cobro.


A deputada Mary Creagh afirmou «acreditamos que a igreja católica desempenha um papel importante na defesa dos marginalizados e dos que não têm voz, bem como na proteção das pessoas em relação ao dano. O Sínodo representa para nós um momento para afirmar a liderança em nome dos jovens e um modo de os proteger do dano que resulta de atitudes negativas ou ambivalentes acerca das pessoas LGBT que lhes são transmitidas.»

O sínodo dos jovens, atualmente a decorrer em Roma, chegará esta semana às suas conclusões finais para que o Papa se debruce sobre elas. Os deputados, dos partidos trabalhista e conservador do Parlamento britânico, afirmaram que embora compreendam que existem muitos pontos de vista no seio da igreja acerca da homossexualidade, a igreja deveria estar unida contra qualquer dano que esteja a ser perpetrado contra os jovens. 


O deputado Conor McGinn disse «quaisquer que sejam as discordâncias existentes dentro da igreja, estas não devem ser causa de que o sínodo não consiga abordar o dano psicológico infligido aos jovens através de qualquer perceção de que ser uma pessoa LGBT seria um infortúnio. A igreja católica desempenha uma posição charneira no mundo para lidar e pôr fim ao dano.»

O diretor da campanha Equal Future 2018, Tiernan Brady, comentou «proteger as crianças e os jovens de todo o dano causado pela perceção de que ser LGBT é um infortúnio ou uma deceção é uma tarefa de toda a sociedade, quer no reino da fé ou social. A Equal Future 2018 acolhe o contributo destes parlamentares do mesmo modo como, estamos certos, a igreja católica o fará e que especificamente pediu por opiniões.»

 

 


A carta integral (em inglês) dos parlamentares britânicos pode ser lida aqui.

 

Tradução do inglês: José Leote (Rumos Novos)