Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

RUMOS NOVOS - Católicas e Católicos LGBTQ (Portugal)

Somos católic@s LGBTQ que sentiram a necessidade de juntos fazerem comunhão, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado a tod@s por Jesus Cristo.

Sete grandes desportistas que tornaram pública a sua homossexualidade

1562344674_337866_1562348028_noticia_normal.jpg

Encontramo-nos ainda a celebrar o 50.º aniversário dos motins de Stonewall. Uma jornada de celebração e homenagem à pluradidade sexual, à liberdade e, definitivamente, do amor, mas igualmente de reflexão e tomada de consciência do quão longe se chegou e, ao mesmo tempo, do muito que ainda há que caminhar. A luta pelos direitos do coletivo LGBT é uma corrida de fundo na qual vão surgindo continuamente novas frentes para enfrentar junt@s. Nalgumas esferas sociais e profissionais mostrar publicamente a orientação sexual acarreta um desafio importante e o simples facto de contar com figuras de referência resulta fundamental para dar um passo mais no avanço pela igualdade.

 

Por isso, este parece ser um bom momento para enumerar alguns desportistas de élite que, no passado ou mais recentemente, tornaram pública a sua homossexualidade. Neste domínio há muitos exemplos e todos eles valiosos. Assim, perante a necessidade de escolher uns poucos, selecionámos sete homens e mulheres de diferentes modalidades que nalgum momento das suas carreiras profissionais se declararam abertamente gays ou lésbicas:

 

 

Carlos Peralta, natação

 

O nadador espanhol de 25 anos, recordista nacional dos 200 metros mariposa e atleta olímpico no Rio de Janeiro, falou pela primeira vez publicamente acerca da sua homossexualidade no ano passado, precisamente antes das datas do Orgulho, numa entrevista exclusiva ao diário «El Mundo». «As pessoas não compreendem o que se pode sofrer quando nos começamos a autoaceitar. Eu não me senti muito compreendido quer pelos treinadores quer pelos colegas. No meu caso, que tenho uma boa posição desportiva, encontrar-me foi muito difícil», reconheceu o malaguenho durante a sua conversa com o periódico.

 

carlos-peralta.jpg

 

Jason Collins, basquetebol

 

O basquetebolista norte-americano foi o primeiro jogador da NBA no ativo a revelar publicamente que é gay. Fê-lo em 2013, quando se encontrava jogando a última temporada da sua carreira na equipa dos Brooklyn Nets, numa entrevista ao «Sports Ilustrated». A sua declaração foi capa dos meios de comunicação norte-americanos e inclusive o presidente Barack Obama aplaudiu oficialmente o seu gesto. O ex-pivot afirmou que ainda que nunca se tivesse proposto ser um pioneiro na hora de estar na linha da frente para falar sobre a homossexualidade no basquetebol de competição, sentia-se «feliz por dar início à conversa».

 

jason-collins-jogador-de-basquete-original1.jpeg

 

Gareth Thomas, rugby

 

A história do jogador de rugby Gareth Thomas torna-se ilustrativa na hora de compreendermos o quão difícil pode ser, para alguns desportistas, dar o passo e o sofrimento que resulta desse silêncio forçado. O escocês, ícone da modalidade no seu país e primeiro jogador a disputar 100 jogos pela seleção nacional, da qual foi capitão, esteve casado durante quatro anos com uma mulher. Contudo, em 2009, em pleno processo de divórcio, decidiu-se a sair do armário. Nessa altura reconheceu que sabia da sua orientação sexual desde os 16 anos, mas que a tinha escondido durante tanto tempo com medo da rejeição. De facto, Thomas chegou a confessar que o tormento que sofreu por ver-se condenado a guardar silêncio quase o levou ao suicídio. No ano passado sofreu um ataque homofóbico brutal que demonstra que ainda há muito por fazer.

 

gareththomas-0.jpg

 

Martina Navratilova, ténis

 

Ainda que no início deste ano tenha estado na origem de uma grande polémica devido aos seus comentários sobre os desportistas transgénero, não se pode omitir desta lista a ex-tenista checa, uma das maiores da história com 18 Gran Slams no seu historial. A sua biografia lança luz sobre o valor da sua saída do armário, pois temos que ter em consideração o contexto no qual se deu, em 1981. De facto, a desportista pediu a nacionalidade norte-americana e somente quando a obteve é que se decidiu a dar o passo, explicando posteriormente que temia que, ao tornar pública a sua orientação sexual, lhe colocassem dificuldades para sair do seu país natal.

 

martina-navratilova.jpg

 

Orlando Cruz, lutador de boxe


O lutador portoriquenho tornou-se no primeiro lutador de boxe  a tornar pública a sua homossexualidade enquanto se encontrava ainda no ativo. Aconteceu em 2012, através de um comunicado no qual o conhecido com o apelido de «O Fenómeno» manifestou o seu orgulho por «ter sido e ser ir ser um homem gay». De facto, durante o seu combate pelo título mundial celebrado em Las Vegas nesse mesmo ano, Cruz levou para o ringue um equipamento desportivo com as cores do arco-íris. «As pessoas disseram-me que sou uma inspiração por ter saído do armário», declarou então o lutador de boxe.

 

OrlandoCruz.jpg

 

Michael Sam, baseball

 

Eis outro homem pioneiro na sua modalidade, o jogador de baseball nascido no Texas foi o primeiro desportista da NFL a declarar-se abertamente gay quando ainda competia profissionalmente. Primeiro deu-o a conhecer à sua equipa de então, os St. Louis Rams do Missouri, e no ano seguinte, numa entrevista para o canal ESPN, abordou a questão pela primeira vez nos meios de comunicação. O ambiente familiar do desportista, de fortes crenças religiosas e muito conservador, renegou-o e, no ano de 2015, Sam anunciou a sua retirada devido a problemas de saúde mental. Desde essa altura, que tem sido um membro ativo do ativismo LGBT e tem relatado as suas experiências profissionais em várias publicações, documentários e conversas motivacionais.

 

Michael-Sam18.jpg

 

Megan Rapinoe, futebol

 

A capitã e estrela da seleção norte-americana de futebol está na ribalta por ter conseguido fazer irritar o presidente dos EUA, Donald Trump. A jogadora declarou-se publicamente lésbica no ano de 2012 através da revista «Out» e desde então tem sido uma firme defensora dos direitos do coletivo. Atualmente mantém uma relação amorosa com outra desportista, a famosa basquetebolista Sue Bird, que é uma das jogadoras mais premiadas da história.

 

89c72637a6c53e5.jpg

 

Fonte: Tikitakas

 

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.